Relogio
..::data e hora::.. 00:00:00
Mulher há quatro meses em morte cerebral deu à luz gémeos
23/02/2017 - 7h21 em Brasil

Jovem passou quatro meses ligada às máquinas, até ao nascimento dos filhos

Frankielen Zampoli tinha 21 anos e estava grávida de gémeos quando sofreu uma grave hemorragia cerebral. Três dias depois os médicos declararam a sua morte cerebral, mas ainda assim mantiveram a jovem ligada a máquinas de suporte de vida durante 123 dias, cerca de quatro meses, para salvar os bebés.

O plano deu certo e, esta segunda-feira, os gémeos Azaphi e Ana Vitória nasceram no Hospital Senhora do Rocio, em Campo Largo, no estado de Paraná.

Frankielen estava apenas no segundo mês de gravidez quando se deu o incidente e a partir daí o maior desafio da equipa médica foi manter o corpo da mãe a funcionar para que os bebés se pudessem desenvolver normalmente.

"Nós tínhamos de manter a pressão adequada da mãe, a oxigenação adequada e manter todo o suporte hormonal e nutricional dela", contou o médico Dalton Rivabem, ao Globo.

A gravidez foi vigiada 24 horas por dia e acompanhadas por uma vasta equipa de médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas e outros especialistas.

Os cuidadores disseram que um dos principais obstáculos era fazer com que os bebés sentissem o afeto da mãe. A solução foi pedir que a família de Frankielen acariciasse a barriga da jovem, falassem com os bebés e cantassem para eles.

"Ela foi guerreira até depois da morte e conseguiu dar vida aos filhos dela", disse ao Globo Ângela Silva, mãe de Frankielen. "A dor de perder um filho é muito grande. Para uma mãe, é a pior dor", continuou, acrescentando que "olhar para eles [os netos], agora, é lindo".

Muriel Padilha, pai dos bebés, disse que são os filhos que lhe dão ânimo e felicidade "dia após dia". "A força vem deles para a minha vida. Da minha esposa, vai ficar a saudade e a aprendizagem", continuou.

Os bebés nasceram com os mesmos problemas de saúde associados a um parto prematuro e precisam de cuidados extra no hospital, principalmente devido ao risco de infeção. Ana Vitória nasceu com um 1,4 quilos e o irmão Azaphi com 1,3 quilos.

Um caso parecido aconteceu em Portugal em junho do ano passado, quando um bebé nasceu após a mãe estar em morte cerebral há 15 semanas. O caso foi inédito no país e o menino ficou conhecido como "bebé-milagre".

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
Previsão do tempo em Jaraguá do Sul