Relogio
..::data e hora::.. 00:00:00
O Passo da Concórdia de Emil Odebrecht na história do vale do rio Itapocu (em comemoração aos 142 anos do município de Jaraguá do Sul).
23/07/2018 15:33 em Cultura

 

Após a expedição pioneira do agrimensor e engenheiro alemão Carl August Wunderwald abrir a primeira picada entre as colônias Blumenau a Joinville no mês de setembro de 1861 (passando pelo vale do rio do Testo em Pomerode e vale do rio da Luz em Jaraguá do Sul), dois anos depois no mês de janeiro de 1864 houve nova tentativa de buscar um novo caminho que pudesse ligar as duas colônias. É aí que entra os trabalhos do engenheiro alemão Emil (Emílio) Odebrecht.

Emil Odebrecht foi pioneiro na sua época de explorar o médio e alto vale do Itajaí onde desbravou o sertão em busca de um melhor traçado para ligar a colônia Blumenau com o planalto catarinense e também com outras colônias vizinhas e também conhecia bem o vale do rio Itapocu (quando participou da primeira demarcação das terras dotais do Conde e Condessa d´Eu juntamente com o engenheiro brasileiro Martinho Domiense Pinto Braga em 1873). E foi justamente numa destas incursões no vale do rio do Testo (atual cidade de Pomerode) que encontrou uma passagem entre o divisor de águas das vertentes do rio Itajaí-Açú com o rio Itapocu, onde batizou o local com o nome de “Passo da Concórdia”.

Esta descoberta foi divulgada no jornal de língua alemã “Colonie Zeitung”, Nº 7, publicado no sábado dia 13 de fevereiro de 1864. Os recortes desta edição ainda não se encontram disponíveis no formato digital pela internet e foi possível apenas ter acesso em microfilmagem que se encontra para consulta no AHJ (Arquivo Histórico de Joinville). O historiador jaraguaense Emílio da Silva equivocadamente mencionou no livro “A Povoação no Vale do Itapocu” (2º Livro do Jaraguá), página 171 (edição de 1983) e página 129 (edição de 2005) a data desta edição do Colonie Zeitung como sendo o dia 07 de fevereiro de 1864.

 Capa do Jornal Colonie Zeitung, número 7, publicado num sábado dia 13 de fevereiro de 1864

 


 

Final da página 29 (coluna do lado direito)

 

 

Início da página 30 (coluna do lado esquerdo)

 

 

Início da página 30 (coluna do lado direito)

 

Como a língua alemã antiga pode ter mais de uma possível interpretação livre ao traduzir para o português, estarei publicando duas versões deste texto.

 

A primeira versão foi traduzida por Rosa Henkenhoff e publicado na Revista Blumenau em Cadernos, Tomo XIX, Nº 8, edição de agosto de 1978, página 223.

 

Blumenau. - Como resultado de uma viagem de reconhecimento chefiada pelo engenheiro Sr. Odebrecht, na primeira quinzena de janeiro, desfizeram-se completamente as últimas dúvidas em relação à construção de uma estrada de Blumenau a Dona Francisca. Na serra que forma a vertente entre a região de Itajaí e de Itapocu e de onde as águas do rio Testo, em direção ao Sul, correm para o Itajaí, e ao Norte as águas do rio Jaraguá correm para o Itapocu, encontra-se um passo que não oferece o mínimo obstáculo para o corte de uma rodovia. Nas cercanias, tanto do lado do Sul como o do Norte, se estendem ótimas terras planas. A futura rodovia de ligação aberta nesse local, poderá, assim, ser colonizada de ambos os lados e à cultura progressiva um campo novo, tão amplo quanto rico. Esse passo da Serra está situado mais ou menos a 26° 35' latitude Sul e 31° 40' longitude ocidental de Ferro e recebeu a denominação de Passo da Concórdia.

A segunda versão foi traduzida por Henry Henkels de São Bento do Sul.

 

BLUMENAU - Partiu daqui no último mês de janeiro, com liderança do Engenheiro Sr. Odebrecht, onde planejou uma viagem exploratória com vistas a abertura de uma estrada carroçável da colônia de Blumenau até a da Dona Francisca. Passa pela cadeia de serra que forma o divisor de águas entre o Itajaí e o Itapocu ao Sul pela orientação das águas do rio do Testo em direção ao Itajaí e ao Norte seguindo o rio Jaraguá em direção ao Itapocu se encontrou um “passo” que permite a passagem de uma estrada carroçável que se estende para os dois vales. Uma futura estrada contínua nessa região pode ser colonizada para as duas margens e vai proporcionar campo para desenvolvimento de novas e ricas culturas. O passo na serra se localiza aproximadamente a 26° 35' Sul e 31° 40' oeste de Ferro e recebeu a denominação de Passo da Concórdia.

 

Além do Colonie Zeitung (jornal voltado para as colônias Blumenau e Dona Francisca / atual Joinville), outro registro deste “Passo da Concórdia” batizado por Emil Odebrecht se encontra também no mapa do agrimensor e engenheiro austríaco Henrique (Heinrich) Kreplin, intitulado “Mapa das Colônias Alemãs na Província de Santa Catarina”, publicado no ano de 1867.

 

 

Mapa das Colônias Alemãs na Província de Santa Catarina de 1867, do engenheiro austríaco Henrique Kreplin.

 

 

No círculo amarelo aparece assinalado o “Passo da Concórdia” (apesar do mapa se encontrar um pouco fora do contexto geográfico entre as bacias hidrográficas dos rios Itajaí-Açú com o rio Itapocu).

 

Foto de satélite capturada do Google Maps. No círculo vermelho, aparece a área onde o engenheiro alemão Emil Odebrecht encontrou em janeiro de 1864 no divisor de águas dos rios do Testo e da Luz (chamado equivocadamente naqueles tempos como sendo o braço mais comprido do rio Cerro), o “Passo da Concórdia”. A Estrada Carolina que leva até a localidade de Rio Ada em Rio dos Cedros se bifurca com a Rua Testo Alto (ambas pertencentes ao município de Pomerode) e também com a Rodovia Municipal JGS 489 (continuação da rua Eurico Duwe) de Jaraguá do Sul.

 

 

Local aproximado por onde Emil Odebrecht encontrou o “Passo da Concórdia” no limite intermunicipal de Jaraguá do Sul e Pomerode. Foto tirada em julho de 2018.

Quem sabe algum dia, os municípios de Jaraguá do Sul e Pomerode construam em parceria neste limite intermunicipal um monumento em homenagem aos pioneiros desbravadores Carl August Wunderwald (setembro de 1861) e Emil Odebrecht e seu “Passo da Concórdia” (janeiro de 1864), como já existe há muitos anos outro monumento na rodovia SC 416 (também no limite intermunicipal de Jaraguá do Sul e Pomerode) onde foi homenageado o ex presidente Washington Luiz, juntamente com o ex secretário de obras de Blumenau Victor Konder quando ambos estiveram neste local no final do mês de maio de 1926.

 

Referências bibliográficas:

"EXTRACTO DO RELATORIO DE E. A. WUNDERWALD, ENGENHEIRO DA COLONIA D. FRANCISCA, SOBRE A EXPEDIÇÃO QUE DIRIGIO DA COLONIA BLUMENAU PELOS SERTÕES DOS RIOS DE TESTO E ITAPOCU` PARA A MESMA COLONIA D. FRANCISCA", extraído do jornal “O Argos da Provincia de Santa Catharina” (Desterro) - Nº 861 de 14-10-1861 (Página 2): Disponível no link:

http://memoria.bn.br/DOCREADER/DocReader.aspx?bib=233889&PagFis=3170

 

Sobre a passagem da primeira demarcação das terras dotais do Conde e Condessa d´Eu no vale do rio Itapocu em 1873 pelos engenheiros Emil Odebrecht e Martinho Domiense Pinto Braga. Disponível no link:

http://portaldaclic.com.br/noticia/177695

“A Povoação no Vale do Itapocu” (2º Livro do Jaraguá), do autor Emílio da Silva, página 171 (edição de 1983) e página 129 (edição de 2005).

Colonie Zeitung, sábado, 13 de fevereiro de 1864, páginas 29 e 30. Outras edições deste jornal que estão no formato digital, foram disponibilizados nas páginas da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e também na Hemeroteca Digital Catarinense. Disponível nos links:

https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/46592

http://hemeroteca.ciasc.sc.gov.br/cidades/blumenau.html

http://hemeroteca.ciasc.sc.gov.br/cidades/joinville.html

 

Revista Blumenau em Cadernos, Tomo XIX, Nº 8, edição de agosto de 1978, página 223. Disponível no link:

http://hemeroteca.ciasc.sc.gov.br/blumenau%20em%20cadernos/1978/BLU1978008.pdf

 

Mapa das Colônias Alemãs na Província de Santa Catarina de 1867, do engenheiro austríaco Henrique Kreplin.

Google Maps. Disponível no link:

https://www.google.com.br/maps/search/google+Maps/@-26.622616,-49.2005141,759m/data=!3m1!1e3

 

Sobre o autor: Fabio Krawulski Nunes, pesquisador autodidata da historiografia e arqueologia no vale do rio Itapocu, começou a publicar seus artigos no Jornal do Vale do Itapocu desde o final de 2009, com os títulos “Os Afro Descendentes e sua história no Vale do Itapocu” e “História sobre a extração de Ouro e Pedras Preciosas no vale do rio Itapocu”; 2010, com os títulos “100 anos da estrada de ferro no vale do rio Itapocu”, “Documentos relacionados com o rio Itapocu a partir do século XVI / Peabiru - 16 Partes”, “Outras regiões do Brasil e países vizinhos e pessoas com o nome Itapocu  - 4 Partes”, entre outras publicações; 2011, com os títulos “Rio Itapocu nos tempos da cartografia antiga – Século XVI – 8 Partes”, entre outras publicações); 2015, com o título “Abrigo Rückl / Cemitério dos Botocudos – 3 Partes”; 2016, com o título “Celebrando no mês de novembro os 475 anos da expedição espanhola sob o comando de Álvar Núñez Cabeza de Vaca no vale do rio Itapocu”; 2017, com os títulos “Anton / Antônio Maller Junior, um entomologista que levou o nome da antiga Hansa Humboldt / atual Corupá para o mundo”, “Os mapas de Martinho Domiense Pinto Braga / Emil Odebrecht e Emílio Carlos Jourdan no vale do rio Itapocu” (publicado também no Portal da Clic) e 2018, com o título “O Passo da Concórdia de Emil Odebrecht na história do vale do rio Itapocu” (publicado também no Portal da Clic). Possui atualmente dois blogs (arqueologiavaledoitapocu.blogspot.com.br) e (peabirucatarinense.blogspot.com.br). Lançou oficialmente no final de 2014 o documentário “Redescobrindo o Itapocu” (disponível no Youtube). Em breve, estará lançando um livro com o mesmo título, reunindo todas as pesquisas que já foram publicadas no Jornal do Vale do Itapocu e outros trabalhos de pesquisa ainda inéditos.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
Previsão do tempo em Jaraguá do Sul